Nova tentativa para eleger ERC. Eleição é dia 27

Eleição dos representantes em falta para órgãos externos será realizada a 27 de novembro, no mesmo dia da votação final global do Orçamento

A eleição dos representantes do Parlamento em falta para os órgãos externos será realizada a 27 de novembro, no mesmo dia da votação final global do Orçamento do Estado para 2018, revelaram à vez esta quinta-feira os líderes parlamentares do PSD e do PS, depois dos deputados terem falhado a sua eleição a 20 de outubro.

Segundo Hugo Soares, houve um entendimento entre sociais-democratas e socialistas, mas escusou-se a concretizar se o PSD mantém os mesmos nomes candidatos à Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC) e para o Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República.

Já pelo PS, o seu líder parlamentar, Carlos César, confirmou a notícia avançada pelo DN a 9 de novembro de que os socialistas vão insistir nos nomes que já levaram a votos para a ERC e no nome que também falhou uma primeira votação para o Conselho Superior de Segurança Interna.

Os nomes que foram propostos para a ERC pelo PSD são os de Fátima Resende Lima, que já exerce funções na ERC, e de Francisco Azevedo e Silva, antigo membro de direções do DN; o PS avançou com as propostas de Mário Mesquita, antigo jornalista e professor universitário, e João Pedro Figueiredo, jurista.

Os deputados também falharam a eleição do deputado socialista e vice-presidente da Assembleia da República Jorge Lacão para o Conselho Superior de Segurança Interna, proposto pelo PS com o acordo do PSD; e de Abílio Morgado, advogado, que foi consultor de Cavaco Silva, avançado pelos sociais-democratas com o entendimento dos socialistas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.