Museu da Presidência foi novamente assaltado. Agora foi uma medalha

Polícia Judiciária está a investigar o caso. É a segunda vez que desaparecem peças da instituição

Foi roubada uma medalha que pertencia ao Museu da Presidência e o assalto está a ser investigado pela Polícia Judiciária. A situação já foi confirmada pela Presidência da República numa nota publicada no site.

"A Presidência da República comunicou às autoridades policiais competentes o desaparecimento de uma medalha do Museu da Presidência. Aguarda-se o resultado do inquérito policial em curso", lê-se.

A notícia foi avançada pelo Observador, que acrescenta que o assalto terá ocorrido entre o final da semana que passou e o início desta semana.

Explica o mesmo jornal que a situação foi comunicada à PSP, mas que o caso passou para a Polícia Judiciária.

É a segunda vez que desaparecem peças do Museu da Presidência, que fica junto ao Palácio de Belém. O primeiro incidente aconteceu em 2016 e levou a que fossem feitas buscas na casa de Diogo Gaspar, ex-diretor da instituição.

Já este ano, em maio, o Ministério Público acusou Diogo Gaspar e ainda outros três arguidos de vários crimes, nos quais se encontram a usurpação de móveis antigos e outros objetos que eram do museu. O antigo diretor do Museu da Presidência foi ainda acusado de abuso de poder, tráfico de influência, falsificação de documento, peculato e branqueamento de capitais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.