Mulher suspeita do homicídio do marido ficou em liberdade

Um empresário, de 52 anos, foi encontrado morto a 25 de outubro na mala da sua carrinha, num descampado em Palmeira, concelho de Braga

O juiz de instrução criminal no Tribunal Judicial de Guimarães deixou hoje em liberdade a mulher que tinha sido detida pela Polícia Judiciária de Braga por suspeita do homicídio do marido, em outubro de 2017.

Fonte policial disse à agência Lusa que a mulher tem de se apresentar diariamente na PSP, ficado ainda proibida de se ausentar do país, bem como de contactar com os restantes intervenientes processuais, à exceção dos filhos.

A vítima, um empresário de 52 anos que morava em Moure, Vila Verde, foi encontrada morta a 25 de outubro na mala da sua carrinha, num descampado em Palmeira, concelho de Braga.

O filho mais velho da vítima, emigrado em França, é igualmente suspeito de participação no homicídio, mas ainda não foi detido

Foi assassinada com um tiro no pescoço.

O homicídio terá ocorrido em Vila Verde, tendo depois o cadáver sido transportado na mala da carrinha da vítima, até ao local onde foi encontrado.

O filho mais velho da vítima, emigrado em França, é igualmente suspeito de participação no homicídio, mas ainda não foi detido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.