Muita roupa, bebidas quentes e atenção às lareiras. Recomendações para enfrentar o frio

Direção-Geral de Saúde já divulgou recomendações para enfrentar a descida acentuada da temperatura em Portugal. Proteção Civil emitiu aviso à população.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) emitiu hoje um aviso à população devido à previsão de tempo frio até quinta-feira, com "temperaturas abaixo do normal para a época" na maioria dos distritos do país.

Em comunicado, a ANPC alerta a população para as medidas preventivas a adotar, tendo em conta que o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê, pelo menos até quinta-feira, a "persistência de tempo frio, com temperaturas mínimas abaixo do normal para a época na generalidade dos distritos".

A Proteção Civil indica também que, hoje e terça-feira, em particular nas terras altas, "os índices de desconforto térmico serão mais acentuados pela ocorrência de vento moderado a forte com rajadas que podem atingir 80 quilómetros por hora".

A Direcção-Geral da Saúde deixa algumas recomendações e alerta para que se evite a "exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura; pede que se faça uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente, luvas, gorros, meias quentes e cachecóis; que se ingiram bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor e ainda especial atenção com a proteção em termos de vestuário por parte dos trabalhadores que exerçam a sua atividade no exterior.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil recomenda também atenção às braseiras e lareiras, que podem causar intoxicação e levar à morte; é necessário assegurar a adequada ventilação das habitações quando não for possível evitar o uso de braseiras ou lareiras. A Proteção Civil aconselha ainda que se evite o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de dormir. Na estrada, é preciso atenção na condução em locais onde se forme gelo na estrada, adotando condução defensiva. Pede-se especial atenção, da parte das famílias, vizinhos e das redes sociais de proximidade, às situações de pessoas idosas ou em condição de maior isolamento. O piso rodoviário poderá estar escorregadio devido à formação de geada, em especial nas regiões do interior.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.

Premium

Opinião

Investimento estrangeiro também é dívida

Em Abril de 2015, por ocasião do 10.º aniversário da Fundação EDP, o então primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmava que Portugal "precisa de investimento externo como de pão para a boca". Não foi a primeira nem a última vez que a frase seria usada, mas naquele contexto tinha uma função evidente: justificar as privatizações realizadas nos anos precedentes, que se traduziram na perda de controlo nacional sobre grandes empresas de sectores estratégicos. A EDP é o caso mais óbvio, mas não é o único. A pergunta que ainda hoje devemos fazer é: o que ganha o país com isso?