Moscovici reúne-se com Mário Centeno em Lisboa na sexta-feira

Fonte comunitária indica que esta deslocação de Moscovici a Lisboa é uma "visita normal" cujo objetivo é "discutir com as autoridades portuguesas a situação económica e perspetivas orçamentais"

O comissário europeu dos Assuntos Económicos desloca-se na próxima sexta-feira a Lisboa, tendo previstos encontros com o ministro das Finanças, com o Governador do Banco de Portugal e com deputados à Assembleia da República.

A deslocação de Pierre Moscovici a Portugal ocorrerá dois dias depois de a Comissão Europeia dar o seu parecer sobre o Orçamento do Estado para o próximo ano -- no quadro das opiniões que divulgará na quarta-feira sobre os planos orçamentais dos países da zona euro -- e sobre a "ação efetiva" levada a cabo por Portugal para corrigir a trajetória do défice e evitar assim uma suspensão de fundos.

De acordo com a agenda do executivo comunitário, o comissário europeu tem previstos encontros com membros do parlamento português, com o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, e com o ministro Mário Centeno.

Fonte comunitária indicou à Lusa que esta deslocação de Moscovici a Lisboa é uma "visita normal" cujo objetivo é "discutir com as autoridades portuguesas a situação económica e perspetivas orçamentais, questões relativas a políticas fiscais na agenda da União Europeia e matérias relacionadas com o futuro da União Económica e Monetária".

Esta é a segunda deslocação de Pierre Moscovici a Lisboa desde que o Governo liderado por António Costa está em funções, após uma visita à capital portuguesa em 10 de março passado.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.