Morreu Albino Aroso, pai do planeamento familiar

O médico Albino Aroso, conhecido como o "pai" do Planeamento Familiar, morreu ao final da manhã, no Porto. Tinha 90 anos.

Nascido em Vila do Conde, a 22 de fevereiro de 1923, Albino Aroso era professor associado jubilado de Ginecologia no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, da Universidade do Porto.

Durante os anos sessenta, contribuiu para a instituição da Associação para o Planeamento da Família (1967), participou, como delegado da Ordem dos Médicos, na integração dos médicos dos hospitais centrais nas carreiras correspondentes (1968).

No ano seguinte, passou a ocupar o cargo de Diretor do Serviço de Ginecologia do Hospital de Santo António, no qual se manteve até ao fim da sua carreira. Foi neste hospital que criou a primeira consulta pública e gratuita de planeamento familiar (1969).

Albino Aroso também interveio na vida política nacional e desenvolveu uma carreira de docente no Ensino Superior Público. Assumiu o cargo de Secretário de Estado da Saúde no VI Governo Provisório (1976) e o de Secretário de Estado Adjunto da Saúde no XI Governo Constitucional (1987-1991).

Em 2006 recebeu o primeiro Prémio Nacional de Saúde pelos seus "contributos inequívocos, prestados no decurso do seu longo desempenho profissional".

Ler mais

Exclusivos