Moradores limpam as "tags" do Jardim do Arco do Cego

Iniciativa envolveu cerca de 100 voluntários e participantes

Os moradores da freguesia das Avenidas Novas, em Lisboa, juntaram-se para limpar as paredes do Jardim do Arco do Cego, numa iniciativa que recebeu o nome de "Ação WashTag". A ideia foi remover as "tags" que inundavam as paredes do espaço público e que, segundo a Junta de Freguesia, "não expressam qualquer componente artístico".

A iniciativa juntou os serviços de Intervenção Social, Ambiente e Higiene Urbana da Junta de Freguesia de Avenidas Novas e a AEIST - Associação dos Estudantes do Instituto Superior Técnico, e contou com a presença e cooperação de mais de 100 voluntários e participantes.

Também a Presidente da Junta de Freguesia de Avenidas Novas, Ana Gaspar e o Vogal do Executivo, Responsável pela Higiene Urbana, Venâncio Rosa, marcaram presença no evento.

O projeto, do pelouro da Higiene Urbana e da Intervenção Social, teve como principal objetivo "sensibilizar os envolvidos para o respeito pelo espaço público".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.