Moradores limpam as "tags" do Jardim do Arco do Cego

Iniciativa envolveu cerca de 100 voluntários e participantes

Os moradores da freguesia das Avenidas Novas, em Lisboa, juntaram-se para limpar as paredes do Jardim do Arco do Cego, numa iniciativa que recebeu o nome de "Ação WashTag". A ideia foi remover as "tags" que inundavam as paredes do espaço público e que, segundo a Junta de Freguesia, "não expressam qualquer componente artístico".

A iniciativa juntou os serviços de Intervenção Social, Ambiente e Higiene Urbana da Junta de Freguesia de Avenidas Novas e a AEIST - Associação dos Estudantes do Instituto Superior Técnico, e contou com a presença e cooperação de mais de 100 voluntários e participantes.

Também a Presidente da Junta de Freguesia de Avenidas Novas, Ana Gaspar e o Vogal do Executivo, Responsável pela Higiene Urbana, Venâncio Rosa, marcaram presença no evento.

O projeto, do pelouro da Higiene Urbana e da Intervenção Social, teve como principal objetivo "sensibilizar os envolvidos para o respeito pelo espaço público".

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

OE 2019 e "o último orçamento que acabei de apresentar"

"Menos défice, mais poupança, menos dívida", foi assim que Mário Centeno, ministro das Finanças, anunciou o Orçamento do Estado para 2019. Em jeito de slogan, destacou os temas que mais votos poderão dar ao governo nas eleições legislativas, que vão decorrer no próximo ano. Não é todos os anos que uma conferência de imprensa no Ministério das Finanças, por ocasião do orçamento da nação, começa logo pelos temas do emprego ou dos incentivos ao regresso dos emigrantes. São assuntos que mexem com as vidas das famílias e são temas em que o executivo tem cartas para deitar na mesa.

Premium

nuno camarneiro

Males por bem

Em 2012 uma tempestade atingiu Portugal, eu, que morava na praia da Barra, fiquei sem luz nem água e durante dois dias acompanhei o senhor Clemente (reformado, anjo-da-guarda e dançarino de salão) fixando telhados com sacos de areia, trancando janelas de apartamentos de férias e prendendo os contentores para que não abalroassem automóveis na via pública. Há dois anos, o prédio onde moro sofreu um entupimento do sistema de saneamento e pude assistir ao inferno sético que lentamente me invadiu o pátio e os pesadelos. Os moradores vieram em meu socorro e em pouco tempo (e muito dinheiro) lá conseguimos que um piquete de canalizadores nos exorcizasse de todo mal.