Monitor da Santa Casa suspeito de violar e bater em crianças

PJ identificou perto de uma dezena de alegadas vítimas. Monitor e assistente social no lar A Nossa Casa, em Lisboa, tem 42 anos

Um rapaz de dez anos, que esteve internado no lar para crianças em risco A Nossa Casa entre os cinco e os sete anos, foi o primeiro a denunciar um monitor da instituição por abusos sexuais e agressões reiteradas. Os pais levaram o caso à Polícia Judiciária, que abriu investigação, tendo a secção de crimes sexuais da Polícia Judiciária de Lisboa identificado, até ao momento, perto de uma dezena de alegadas vítimas do homem de 42 anos. Fonte da PJ acredita que haverá mais. O suspeito foi detido pela Judiciária no dia 4 mas, para proteger a investigação, só ontem foi dada a conhecer a detenção. Presente ao juiz, o homem ficou em prisão preventiva.

Os utentes do lar A Nossa Casa, da Santa Casa da Misericórdia, em Campo de Ourique, são crianças em risco confiadas à instituição até aos sete anos, depois de terem sido retiradas temporaria ou definitivamente aos pais pelo tribunal de Família e Menores. Chegam de ambientes onde eram negligenciadas ou maltratadas pelos pais, ficando algumas no lar a aguardar adoção, enquanto outras acabam por regressar às respetivas famílias.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais