Ministro da Defesa autoriza compra de 12 'drones'

Processo de aquisição não deverá exceder o montante máximo de seis milhões de euros

O ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes, autorizou a compra de 12 sistemas aéreos não tripulados (mini-UAV), anunciou hoje o Governo em comunicado.

O processo de aquisição não deverá exceder o montante máximo de seis milhões de euros, até 2021, acrescenta o texto. Segundo o despacho publicado hoje, 24 de maio, em Diário da República, estes procedimentos de aquisição vão ser desenvolvidos através da NATO Support and Procurement Agency (NSPA).

Estão contempladas verbas para a aquisição destes veículos, normalmente designados por 'drones', através do "Projeto dos Sistemas Aéreos Não Tripulados", que faz parte da Lei de Programação Militar.

José Lopes delegou no general Rovisco Duarte, Chefe do Estado-Maior do Exército, a capacidade de lidar com todos os assuntos referentes aos procedimentos a tratar com a NSPA e também a competência de pôr em prática "todos os atos necessários à execução contratual decorrente do procedimento agora autorizado", refere o despacho.

A compra dos mini-UAV foi autorizada pelo ministro da Defesa de modo a que exista ajuda na recolha de informações em apoio das Unidades Escalão Batalhão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).