Ministra já designou um novo diretor para o SEF

Carlos Alberto Matos Moreira vai suceder a Luísa Maia Gonçalves, que se demitiu na semana passada

A ministra da Administração Interna designou Carlos Alberto Matos Moreira para o cargo de diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Oficial de Ligação do Ministério da Administração Interna junto da União Europeia, na Representação Permanente de Portugal, em Bruxelas, desde 2008, Carlos Alberto Matos Moreira vai substituir Luísa Maia Gonçalves, que se demitiu na semana passada.

Luísa Maia Gonçalves, apresentou a demissão na quarta-feira, dia 4, na sequência de uma reunião solicitada pela ministra da Administração Interna com a intenção de a exonerar, anunciou o Governo.

"A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, convocou hoje, dia 04 de outubro, a diretora nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Luísa Maia Gonçalves, para uma reunião com o propósito de lhe comunicar a sua intenção de a exonerar, tendo Luísa Maia Gonçalves apresentado a sua demissão", segundo um comunicado divulgado pelo Ministério da Administração Interna, em que não constavam as razões da demissão.

Na base da decisão terá estado, segundo noticiou o DN, o crescente mal-estar entre as duas responsáveis, acentuado com as posições de natureza técnica assumidas pelo SEF relativamente aos efeitos da nova Lei dos Estrangeiros, com base numa proposta do BE e que permite a concessão de residência a quem tenha uma promessa de trabalho.

O SEF considerou que essa norma iria produzir um "efeito de chamada" de estrangeiros a Portugal, o qual se verificou logo na primeira semana da entrada em vigor do diploma com um acréscimo significativo de novos pedidos de visto a chegarem àquele serviço.

Segundo comunicado do Ministério da Administração Interna, a Direção Nacional do SEF será assumida interinamente pelos atuais diretores nacionais adjuntos Joaquim Pedro Oliveira e António Carlos Patrício.

Carlos Alberto Matos Moreira ingressou no SEF em 1991 onde, entre outros cargos, assumiu funções de Diretor Regional do Centro do SEF entre 2003 e 2007, diz a nota de imprensa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".