Organização aponta para 40 mil manifestantes na defesa dos contratos de associação

Manifestantes vieram de todo o país e concentraram-se frente à Assembleia da República

A manifestação promovida pelo Movimento em Defesa da Escola Ponto, em Lisboa, terminou pouco depois das 17:00, tendo mobilizado, segundo a organização, cerca de 40 mil pessoas, entre as quais alguns rostos conhecidos da política nacional.

Em declarações aos jornalistas, o responsável do movimento considerou que esta manifestação trouxe até Lisboa cerca de 40 mil pessoas em defesa dos contratos de associações celebrados entre o Estado e os colégios privados e cooperativos.

Manuel Bento disse acreditar que com a manifestação de hoje o Governo de António Costa retroceda na decisão de alterar alguns dos contratos assinados em 2015.

Os manifestantes concentraram-se esta tarde frente à Assembleia da República, num protesto que trouxe pessoas de Norte a Sul do país, numa ação contra as alterações aos contratos de associação que o Governo atual quer aplicar.

"A escola do Estado sai-nos cara" ou "onde não há escolha não há liberdade", foram algumas das frases que leram nos cartazes exibidos pelos manifestantes. Em comum, a maioria das pessoas tinham o facto de estarem vestidas de amarelo, a cor escolhida pelo movimento em defesa dos colégios privados e cooperativos.

Quase todas as pessoas tinham um cravo amarelo na mão, ao mesmo tempo que gritavam palavras de ordem, tocando buzinas e bombos, numa ação de protesto bastante ruidosa.

(Notícia atualizada às 17:48)

Exclusivos