Milhares pediram hoje referendo ao casamento gay

Milhares de pessoas desceram hoje a avenida da Liberdade, em Lisboa, e encheram meia praça dos Restauradores, numa manifestação convocada pela Plataforma Cidadania e Casamento a favor do referendo ao casamento entre pessoas do mesmo sexo.

"Casamento é entre homem e mulher" e "a família unida jamais será vencida" foram algumas das palavras de ordem ouvidas enquanto a manifestação, que partiu pouco depois das 15:00 da praça do Marquês de Pombal, descia a avenida mais conhecida de Lisboa.

Segundo disse fonte da organização à agência Lusa, estiveram presentes na manifestação "mais de cinco mil pessoas".

Os agentes da PSP presentes no local não adiantaram qualquer número, remetendo para o comando distrital, o qual não foi possível contactar até ao momento.

Junto ao cinema São Jorge, sensivelmente a meio da avenida da Liberdade, uma pequena 'contra manifestação' com cerca de meia centena de pessoas, esperava a iniciativa organizada pela Plataforma Cidadania e Casamento, o que gerou alguma tensão e levou à mobilização de um maior número de agentes para o local.

Empunhando cartazes dizendo "Inveja é pecado" e "Eu não votei no vosso casamento (nem quero)", a concentração a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo ocupava a varanda do cinema São Jorge e o passeio da avenida da Liberdade acenando com bandeiras com as cores do movimento gay, atirando 'confettis' e serpentinas e tocando tambores.

A passagem de alguns elementos do Partido Nacional Renovador (PNR) gerou uma troca de palavras mais acesa, mas o que parecia vir a tornar-se um incidente foi controlado pela PSP.

À Lusa, Rui Duarte, um dos presentes na 'contra manifestação', disse que a iniciativa surgiu de "um grupo de amigos que acha inadmissível tentar dar-se uma ideia de força numa manifestação contra uma minoria".

O manifestante, de 29 anos, adiantou que a concentração foi convocada por mensagem de telemóvel e pelas redes sociais e não partiu de nenhuma associação LGBT em concreto, apesar de estarem vários membros presentes na avenida da Liberdade.

Na manifestação da Plataforma Cidadania e Casamento marcaram presença figuras públicas como o arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles, o general Garcia Leandro, o deputado do CDS-PP Ribeiro e Castro e os antigos deputados centristas Luís Nobre Guedes e José Paulo de Carvalho, Dom Duarte Pio ou o reitor da Universidade Católica, Manuel Braga da Cruz.

Já na praça dos Restauradores, cartazes com frases como "Pelo casamento, pela família, exigimos o referendo" ou "A família é sagrada não cabe ao Estado laico destruí-la" e bandeiras de Portugal e da monarquia, agitaram-se ao som do êxito das Sister Sledge, "We are family".

Ler mais

Exclusivos