Troço do Metro entre o Aeroporto e Moscavide encerra temporariamente

O encerramento temporário vai ocorrer entre terça e sexta-feira. Os utentes do Metro de Lisboa podem utilizar os serviços da Carris e da Aerobus

A partir das 20:00 de terça-feira, a circulação na linha vermelha no troço entre as estações Aeroporto e Moscavide vai estar suspensa até às 06:30 de sexta-feira, devido a trabalhos na estação Encarnação.

"Este encerramento temporário destina-se a facilitar a remoção e o transporte de entulhos, resultantes dos trabalhos em curso na estação Encarnação, no âmbito das inspeções técnicas realizadas, para efeitos da receção definitiva da empreitada de construção daquela estação, que se vai manter temporariamente encerrada previsivelmente até ao dia 19 de junho", informa o Metro de Lisboa, em comunicado emviado às redações.

O Metro de Lisboa admite que podem ser "necessários outros condicionamentos"

Para minimizar o impacto deste encerramento temporário, o Metropolitano de Lisboa adianta que os utentes "podem utilizar os serviços da Carris, designadamente as carreiras 705 (Aeroporto-Moscavide) e 783 (Aeroporto-Entrecampos), com intervalos estimados de 10 minutos, bem como o serviço Aerobus, as quais serão reforçadas para o efeito". A empresa informa ainda que "os títulos de viagem Carris-Metro e os títulos diários serão aceites nas carreiras da Carris, com exceção do Aerobus".

O Metro de Lisboa admite que podem ser necessários "outros condicionamentos, que serão oportunamente comunicados". A empresa "vai continuar a monitorizar a evolução dos trabalhos em curso para completa avaliação das intervenções a realizar".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.