Mesquita Machado investigado por estádio do Braga

O Ministério Público investiga crimes de prevaricação e gestão danosa no contrato assinado em 2004 entre a autarquia e o Sporting de Braga da construção do estádio

O MP e a Polícia Judiciária (PJ) de Braga estão a investigar o ex-autarca da cidade, o socialista Mesquita Machado, pelos crimes de prevaricação e gestão danosa. Em causa, alega o MP, estarão suspeitas relativas ao contrato relativo ao estádio do clube Sporting de Braga, aquando o Euro 2004, segundo avança o JN.

O contrato terá permitido ao clube passar a usufruir do estádio pagando 500 euros mensais à Câmara Municipal de Braga, na altura liderada por Mesquita Machado. A autarquia arcaria com as despesas de eletricidade e outras no total de 100 mil euros mensais.

Segundo avança o JN, a autarquia somaria assim 54 mil euros de rendas e pagou de despesas, a favor do clube, 900 mil. O que poder ser considerado favorecimento em prejuízo do Estado.

A investigação terá resultado de um relatório enviado por Ricardo Rio, já em 2013 presidente da Câmara de Braga, à Procuradoria-Geral da República. Segundo o JN, a PJ tem em mãos suspeitas relativas ao contrato de prolongamento do túnel da Avenida da Liberdade, em 2013, ainda no mandato anterior de Mesquita Machado, eleito pelo PS. Neste caso, a investigação decorre depois de uma queixa do vereador socialista, Hugo Pires, agora na oposição.

Ler mais

Exclusivos