Mergulhadores encontraram corpo de jovem desaparecido

Os mergulhadores do Regimentos de Sapadores Bombeiros de Lisboa encontraram pelas 21.20 o corpo do jovem de 15 anos que estava desaparecido desde as 16.00 desta segunda-feira.

O jovem desapareceu no rio Tejo, em Lisboa, depois de se ter lançado à água, na zona de Santa Apolónia. O menor, segundo o capitão do Porto de Lisboa, Cruz Gomes, integrava "um grupo de sete jovens, entre os 12 e os 17 anos, da zona da Graça, Alfama, que resolveu tomar banho na margem do rio, em zona aberta, de acesso público", informou.

O jovem não sabia nadar e os colegas procuraram socorrê-lo, quando ficou em dificuldades, especificou Cruz Gomes.

O alerta para o 112 foi feito às 16.15 por um transeunte, a quem o grupo pediu ajuda, e duas embarcações na Polícia Marítima (PM) foram mobilizadas para o local, bem como 15 mergulhadores dos sapadores e outros forenses da PM.

"O trabalho mais importante agora é o dos mergulhadores", disse o comandante da Capitania, identificando as correntes como a maior dificuldade, apesar de não as considerar significativas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.