Médicos de família vão receber mais para ir para o interior

As regiões do País com mais falta de médicos, como as de interior, vão conseguir captar mais especialistas já nos primeiros meses de 2015

A ideia é captar sobretudo médicos de família, mas também de áreas como anestesiologia, psiquiatria, ginecologia ou pediatria, segundo exemplificou ao DN o secretário de Estado Adjunto e da Saúde Fernando Leal da Costa.

Prevê-se que haja uma verba entre 2 a 4 milhões de euros para levar a cabo a medida. O pagamento de incentivos para atrair médicos para zonas mais desfalcadas está prevista no orçamento de Estado para 2015, mas está já em estudo há vários meses. Em março, numa entrevista ao DN, Leal da Costa já tinha referido que havia uma intenção de abrir vagas para novos médicos onde são necessários e admitiu a hipótese de haver incentivos.

À margem da apresentação do Relatório Anual do Observatório Nacional da Diabetes, referiu que "a medida está a ser trabalhada em conjunto com o Ministério das Finanças. Para já estamos a identificar as regiões mais desfalcadas e as especialidades em causa. Estamos a fazer esse levantamento".

Os prémios, pagos "de forma pecuniária e somada ao salário" vão avançar nos próximos concursos de recém-especialistas, nomeadamente no que irá ser aberto "no início do ano" e que deve colocar os profissionais até abril. Mas a medida deverá abranger profissionais há mais tempo no SNS.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos