Novo alerta. Chuva forte, cheias, vento e neve nos próximos dias

A Proteção Civil alerta para possíveis danos em estruturas, quedas de árvores, cheias rápidas em meio urbano, formação de lençóis de água. Aconselha a população a ter comportamentos adequados

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou esta quarta-feira para o agravamento das condições meteorológicas nos próximos dias, com previsão de aumento da agitação marítima, com chuva pontualmente forte, trovoada, vento igualmente forte e queda de neve.

"Segundo o IPMA [Instituto Português do Mar e da Atmosfera], prevê-se nos próximos dias o agravamento das condições meteorológicas, nomeadamente aumento da agitação marítima (em toda a costa), precipitação (pontualmente forte), instabilidade (trovoada), vento forte (possibilidade de ocorrência de fenómenos extremos), e queda de neve", refere a ANPC, em comunicado divulgado cerca das 20:00 de hoje.

No aviso à população, a ANPC refere que o IPMA prevê "períodos de chuva, por vezes forte, passando a regime de aguaceiros, com possibilidade de queda de granizo, para os distritos do Porto, Vila Real, Viseu e Aveiro até às 00:00" de quinta-feira.

A nota indica que "haverá o agravamento da agitação marítima a norte do Cabo Raso", a partir das 21:00 de hoje, "com ondas de cinco a seis metros", prevendo-se que a situação se mantenha até às 18:00 de quinta-feira.

Na sexta-feira é esperada a diminuição da ondulação para quatro a cinco metros.

O vento "vai soprar forte com rajadas máximas de 80 km/h", para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra e Leiria, até à 01:00 de quinta-feira.

Nas terras altas as rajadas podem atingir 100 Km/h.

Está ainda prevista a queda de neve até à cota de 1.000 metros, nos distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança e Guarda entre as 18:00 de hoje e as 09:00 de quinta-feira.

A ANPC refere que devido ao agravamento das condições meteorológicas podem ocorrer danos em estruturas, queda de árvores, cheias rápidas em meio urbano, formação de lençóis de água, desabamentos ou acidentes na orla costeira, aconselhando a população a adotar os comportamentos adequados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.