Marques Mendes também vai ser "professor" na Universidade de Verão do PSD

O ex-líder regressa ao "local do crime": no ano passado, mesmo sem estar presente, colocou o partido a debater as presidenciais. Edição de 2016 arranca hoje em Castelo de Vide

Luís Marques Mendes vai voltar a ser "professor" na Universidade de Verão do PSD, que hoje arranca em Castelo de Vide e dura até 4 de setembro. O ex-líder do PSD, que tem sido dos notáveis que mais critica publicamente o presidente Passos Coelho, não estava no programa inicial, mas a organização já tinha prometido surpresas e Mendes irá ser orador na quarta-feira à noite.

Na edição do ano passado, Mendes não foi convidado a estar presente, mas acabou por participar através de um sistema de perguntas e respostas que é habitual os formandos fazerem a figuras do partido e da sociedade civil. Em 2015, a organização tinha decidido não levar qualquer candidato presidencial para evitar que o tema fosse discutido antes das legislativas.

No entanto, Mendes acabou por perturbar essa regra não escrita de não falar de Presidenciais, respondendo aos alunos que caso houvesse "mais do que um candidato da área do PSD, o partido deve dar liberdade de voto à primeira volta e só apoiar mais tarde o candidato que passar à segunda volta". O ex-líder regressa assim este ano ao "local do crime", mas de forma presencial. Inicialmente, o orador do jantar de quarta-feira seria a maestrina Joana Carneiro.

Sendo por norma um não-alinhado, irá contribuir para a tal pluralidade de opinião que o reitor da Universidade de Verão, Carlos Coelho, diz ser uma marca de água desta iniciativa do PSD que ocorre desde 2003.

Hoje o dia arranca calmo, com o primeiro vice-presidente do PSD, Jorge Moreira da Silva, a ser a figura maior do partido na sessão de abertura. Amanhã, os cabeças de cartaz fazem da terça-feira um dos dias mais mediáticos da edição deste ano: a manhã começa com uma aula da ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque e termina com um jantar-conferência do ex-presidente da Assembleia da República e socialista, Jaime Gama.

Ler mais

Exclusivos