Marisa traz cabaz com promessas de votos da Feira de Espinho

Marisa Matias aproveitou para recordar que hoje a única mulher que ocupou a chefia do Governo, Maria de Lourdes Pintasilgo, faria anos

No dia em que Maria de Lourdes Pintasilgo faria 86 anos, a candidata presidencial Marisa Matias recebeu promessas de votos de feirantes e compradores da Feira de Espinho, que dizem que o único "defeito" da "menina" é ser nova e verdadeira.

Abraços, beijos e mais beijos, sorrisos, palavras de incentivo, "boa sorte" e garantias de votos encheram hoje os sacos de compras de Marisa Matias na visita à Feira de Espinho, distrito de Aveiro, um lugar carismático e de passagem obrigatória das caravanas eleitorais, onde o desafio é a honestidade e palavras sem filtros de vendedores e alguns compradores.

O fator mulher hoje falou mais alto e muitas foram aquelas que se aproximaram da candidata apoiada pelo BE para a incentivar a continuar a defender a causa feminina: "Uma mulher a 'presidenciar' o nosso país era muito bom. O Coelho já foi para a toca. Não se mentaliza, mas já foi".

Foi aliás uma senhora que, muito baixinho, lhe falou de Maria de Lourdes Pintasilgo, uma mulher que "só governou 100 dias Portugal mas foi maravilhosa". Marisa Matias aproveitou para recordar que hoje a única mulher que ocupou a chefia do Governo faria anos, tendo depois dito aos jornalistas que "uma das grandes desvantagens é só haver ainda duas mulheres a concorrer ao fim deste tempo todo".

"Hoje é o dia de aniversário de Maria de Lourdes Pintassilgo, a outra única mulher que concorreu à Presidência da República. A desvantagem que nós temos é de ainda termos que fazer um caminho tão grande para que as mulheres tenham a mesma oportunidade do que os homens", enfatizou, considerando que "há muitas pessoas que veem a necessidade de ser representadas por mulheres, coisa que nunca viram neste cargo na democracia em Portugal".

Uma vendedora de panos de cozinha repetiu os desejos de boa sorte de tantas outras com pessoas com que a eurodeputada se cruzou, e deixou uma promessa: "é em si que eu vou votar. Já votei na outra menina. Era Catarina não era? Gostava muito de a ouvir falar. E ontem estive a ouvir a menina e gosto muito de a ouvir falar".

De uma vendedora de fruta com a capacidade de oratória de uma política, Marisa Matias recebeu ainda cerejas e quando lhe pediu "uma para cada um para distribuir" pelos jornalistas e apoiantes que acompanhavam ouviu: "credo, nossa senhora. Você também não é pobre a pedir. Valha-nos os anjinhos".

Maria Angelina abordou a concorrente a Belém para lhe manifestar apoio, mas vaticinou a derrota apenas Marisa "é muito jovem para o cargo que eles querem" e por isso "as pessoas não confiam muito na menina", que considera ser "boa política, boa falante, uma grande mulher e uma boa revolucionária".

"Não vai ganhar nestas, mas vai ganhar nas próximas, porque é muito jovem, só por isso. Pela idade vai-lhe faltar um bocadinho de votos", disse.

A caravana prosseguiu e até reencontrou um homem de 63 anos que na campanha para as europeias de 2014 - nas quais Marisa tinha sido cabeça de lista do BE - já tinha estado com a candidata na mesma feira.

"Você não sabe mentir", disse outro comprador a Marisa Matias, que confidenciou à concorrente presidencial que preferia que ganhasse as eleições do que dissesse tantas verdades.

"Foi uma sondagem que a converter-se em votos seria uma votação muito elevada. Fui muito bem recebida e as pessoas sabem aqui quem é que as defende quando é preciso e quem é que pode ajudar a continuar a melhorar a vida dela", disse no final a candidata aos jornalistas.

Marisa Matias lamentou ainda "o retrato do país que não queremos", relatando a história "inacreditável e inadmissível em qualquer democracia" de uma senhora que, com 85 anos, ainda tem que sustentar três dos 15 filhos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.