Maria Luís Albuquerque contratada para empresa britânica de gestão de dívidas

Ex-ministra das Finanças vai ser administradora não executiva da Arrow Global, que esteve ligada à gestão de ativos do Banif

Maria Luís Albuquerque acaba de ser contratada como administradora não executiva e integrará o Comité de Auditoria e Risco da britânica Arrow Global, uma das maiores empresas europeias de aquisição e gestão de portefólios de crédito, com vários negócios em Portugal, passando a exercer essas funções a partir de segunda-feira, de acordo com um comunicado divulgado esta quinta-feira.

É o próprio presidente do conselho de administração, Jonathan Bloomer, quem o confirma dizendo estar "encantado" por a ex-ministra das Finanças se juntar à administração, lembrando o currículo e as funções de Maria Luís Albuquerque também no governo de Pedro Passos Coelho.

"Maria Luís vai trazer um acréscimo de experiência de gestão de dívida internacional e complementará a experiência já existente no conselho de administração e contribuirá para a expansão da Arrow Global para novos mercados e novos tipos de ativos", pode ler-se na nota de Bloomer.

A notícia da contratação foi adiantada nas redes sociais Twitter e Facebook pela porta-voz nacional do BE, Catarina Martins - e também no portal bloquista esquerda.net -, que denuncia os "lucros recorde" da Global Arrow em 2015, "graças a negócios em Portugal e na Holanda". "Comprou duas empresas do setor em Portugal, Whitestar e Gesphone, que sabemos estar envolvidas na compra de ativos do Banif", escreve a líder do BE.

Por sua vez, no esquerda.net é ainda referido que a companhia sediada em Londres "tornou-se líder da gestão de crédito malparado em Portugal, ao adquirir no ano passado a Whitestar e a Gesphone, duas empresas do mesmo ramo. A Whitestar está também envolvida na gestão de crédito malparado do Banif".

"Num documento classificado como 'confidencial' mas disponível na internet, a empresa revela gerir 5.5 mil milhões de euros e ter como clientes em Portugal os bancos Santander, Banif, Millennium BCP, Banco Popular, Montepio, Finibanco, Crédito Agrícola, Cofidis, entre outras empresas de renome do setor financeiro", pode ler-se no mesmo texto.

O documento, esse, pode ser consultado aqui.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Benefícios fiscais para quê e para quem

São mais de 500 os benefícios fiscais existentes em Portugal. Esta é uma das conclusões do relatório do Grupo de Trabalho para o Estudo dos Benefícios Fiscais (GTEBF), tornado público na semana passada. O número impressiona por uma razão óbvia: um benefício fiscal é uma excepção às regras gerais sobre o pagamento de impostos. Meio milhar de casos soa mais a regra do que a excepção. Mas este é apenas um dos alertas que emergem do documento.

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la no ensino superior

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.