Maria de Belém: "Se morreu do coração, morreu do que tinha de melhor"

Almeida Santos foi "o mais eminente legislador" e a sua morte representa "uma perda irreparável para Portugal, para a democracia portuguesa e para o PS", disse esta manhã Maria de Belém

Falando na sua sede de campanha em Lisboa, a candidata - que Almeida Santos apoiava - afirmou ainda que "este acontecimento tristíssimo exige-nos a homenagem a um Homem que cruzou o seu destino com a resistência à ditadura, a descolonização e a fundação da democracia". Foi além disso "um homem de grande dimensão cultural, afetiva e humanista". "Se morreu do coração, morreu do que tinha de melhor", afirmou.

Maria de Belém endereçou à família as suas "mais sentidas condolências, acompanhadas de um abraço amigo muito amigo e solidário". Depois confirmou que a campanha estará suspensa até à realização do funeral, amanhã. A candidata presidencial Maria de Belém Roseira apenas retomará a campanha eleitoral na quinta-feira com um almoço na cervejaria Trindade, em Lisboa.

Ao fazer esta declaração, Maria de Belém tinha a acompanhá-la personalidades como Jorge Coelho, Marçal Grilo, Luís Nazaré, Vera Jardim, Alberto Martins e Simonetta Luz Afonso.

O último gesto público que Almeida Santos teve foi a participação, domingo, num almoço de apoio a Maria de Belém na Figueira da Foz, no qual se apresentou queixando-se de uma gripe ainda não inteiramente curada. Há semanas havia participado, com Mário Soares, num almoço em Lisboa de apoio a José Sócrates.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.