Marcelo também está contra alteração da lei por causa da CGD

Governo está cada vez mais sozinho na sua intenção de mexer na legislação para permitir a nomeação dos administradores "chumbados" pelo BCE

O Presidente da República não vê com bons olhos a ideia do Governo de alterar a lei bancária para permitir a nomeação dos oito administradores não executivos para a Caixa Geral de Depósitos que foram rejeitados pelo Banco Central Europeu (BCE).

Marcelo Rebelo de Sousa encontra-se ainda de férias, mas a SIC Notícias avança este domingo que esta é a sua posição relativamente à matéria, e que o chefe de Estado irá pronunciar-se publicamente sobre a mesma durante a próxima semana.

Desta forma, o Executivo de António Costa fica ainda mais sozinho na questão. Não encontra apoios à esquerda, como o DN noticiou, tendo Bloco de Esquerda e PCP já afirmado serem totalmente contrários à proposta.

A iniciativa partiu do secretário de Estado do Tesouro e das Finanças, Mourinho Félix, após o BCE ter aprovado a equipa de administradores executivos proposta para a Caixa Geral de Depósitos mas ter recusado oito nomes propostos para administradores não executivos.

Ainda segundo a SIC Notícias, também a ideia do Governo de permitir que o fisco tenha acesso às contas bancárias dos contribuintes obtém o total desacordo do Presidente da República. Uma matéria a que o Governo já admitiu rever:

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.