Marcelo recebido no mercado da Praia ao som do batuque

Nõa houve funaná, mas existiram muitos beijos, abraços e até tempo para engraxar os sapatos

Sem o prometido funaná, as vendedeiras do mercado municipal da Praia receberam esta segunda-feira o Presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, entusiasticamente ao som do batuque e com beijos e abraços.

Marcelo Rebelo de Sousa chegou ao mercado vindo da Câmara Municipal da Praia, a cerca de 200 metros, onde recebeu as chaves da cidade pelas mãos do autarca Óscar Santos, que enalteceu o papel do poder local no relacionamento entre os dois países.

Numa terra onde quase toda a gente se conhece, não demorou até surgir Dona Eugénia, uma amiga de infância do presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, que beijou e abraçou efusivamente os dois chefes de Estado.

"Vocês são os meus dois presidentes", disse esta "cabo-verdiana-portuguesa", ao que Marcelo Rebelo de Sousa responde, com uma incursão à literatura do escritor brasileiro Jorge Amado.

"Há um livro que é 'Dona Flor e seus dois maridos', você é a Dona Eugénia e os seus dois Presidentes", disse, provocando uma gargalhada.

Passando pela praça Alexandre Albuquerque, onde provou caipirinha e outros petiscos numa esplanada local, o chefe de Estado, acompanhado pelo seu homólogo cabo-verdiano, sentou-se no banco do senhor Francisco para engraxar os sapatos.

"Vamos ver se ele tem arte", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, ladeado por seguranças, jornalistas e muitos populares que queriam tirar uma foto, dar um abraço ou um beijo.

"Como é que se chama?", perguntou o Presidente. "Francisco", respondeu o engraxador. "É o nome do meu neto preferido, o meu neto mais velho", replicou Marcelo, dizendo que é "muito melhor" engraxar sapatos em Cabo Verde.

"Lá (em Portugal) poupam na graxa", brincou, enquanto o engraxador passava o pano.

"Está feito. É a primeira vez que vejo estes sapatos luzirem. Está muito bom. Uma obra", prosseguiu Marcelo, que pagou 10 euros ao engraxador antes de entrar na rua pedonal que dá acesso ao mercado.

De poucas palavras, mas com rapidez e concentração no trabalho, Francisco, 53 anos, não escondeu a alegria por ter engraxado os sapatos do chefe de Estado português e disse que o pagamento "dá para compensar".

No mercado da Praia, não houve o prometido funaná, mas Marcelo Rebelo de Sousa foi recebido entusiasticamente e ao som do batuque do grupo Tradiçon di Terra, criado em 2003 e formado na sua maioria por mulheres da ilha de Santiago.

O Presidente português tinha à sua espera um banho de multidão no mercado municipal, que parou literalmente e com todas as vendedeiras a querem cumprimentar, abraçar e beijar o chefe de Estado.

"Já consegui o meu beijo", disse sorridente a Zeza, considerando que Marcelo Rebelo de Sousa é um "bom Presidente" e que ficou "muito contente" pela visita ao mercado.

O Presidente teve tempo para provar morangos: "Hum, muito bom", e ainda apanhou dois bocados de comida com a mesma colher e no mesmo prato de um jovem que estava a almoçar.

"Muito bom", repetiu o Presidente, que não subiu ao primeiro andar do mercado, apesar da insistência das vendedeiras e da sua própria vontade em cumprimentar as mulheres uma a uma.

Com agenda apertada e já algum atraso, desta vez o protocolo levou a melhor e conseguiu que Marcelo Rebelo de Sousa seguisse para o compromisso seguinte.

Ler mais

Exclusivos