Marcelo preocupado com efeitos da situação europeia nos mercados

Presidente da República recordou que Portugal depende "muito da Europa" e que a desaceleração económica "é preocupante para todos"

O Presidente da República relativizou hoje o abrandamento do crescimento económico no primeiro trimestre, mas declarou-se preocupado com os efeitos da situação europeia nos mercados financeiros, manifestando o desejo de que haja uma estabilização

"Não escondo que a situação europeia é uma situação que está a provocar nos mercados financeiros uma subida das taxas de juro, porque há incertezas, dúvidas políticas com efeitos económicos e financeiros. Isso não depende de nós. Todos esperamos que haja uma estabilização e uma normalização depois destes picos", declarou Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado, que falava aos jornalistas, à saída de uma iniciativa na Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, reforçou esta mensagem: "Nós dependemos muito da Europa e dependemos muito do mundo. Se a nível mundial e a nível europeu, sobretudo a nível europeu, houver desaceleração económica e problemas nomeadamente nos mercados financeiros, isso é preocupante para todos".

"Vamos acompanhar os próximos meses para ver exatamente como é que os mercados financeiros reagem", acrescentou.

Antes, o Presidente da República relativizou o abrandamento da economia portuguesa no primeiro trimestre -- em que o crescimento foi de 2,1% em termos homólogos e 0,4% em cadeia, desacelerando face ao último trimestre de 2017, segundo dados hoje dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Marcelo Rebelo de Sousa argumentou que "o primeiro trimestre do ano é sempre um trimestre relativamente fraco -- não é em Portugal, é fraco de uma maneira em geral, nomeadamente nas economias europeias -- e, depois, a economia tende a subir".

Interrogado sobre a situação política em Itália, o Presidente da República escusou-se a falar de "outros países", limitando-se a dizer que "há um dado novo destas últimas semanas" que espera que "não se prolongue para o futuro".

Sobre a atuação da União Europeia para evitar uma nova crise das dívidas soberanas em vários países, o chefe de Estado defendeu que "o Banco Central Europeu tem continuado a agir permanentemente, e teve um papel muito importante no passado, e tem no presente e terá no futuro, como estabilizador da situação financeira".

"É evidente que há fenómenos que são mais difíceis de controlar, se se prolongarem no tempo. Esperamos todos é que se não prolonguem no tempo", afirmou.

Exclusivos

Premium

Clássico

Mais de 55 milhões de euros separam plantéis de Benfica e FC Porto

Em relação à época passada, os encarnados ultrapassaram os dragões no que diz respeito à avaliação do plantel. Bruno Lage tem à sua disposição um lote de jogadores avaliado em 310,7 milhões de euros, já Sérgio Conceição tem nas mãos um grupo que vale 255,5 milhões. Neste sábado, no Estádio da Luz, defrontam-se pela primeira vez esta temporada.