Marcelo diz que é "muito bom" a aproximação entre Passos e Costa

Candidato presidencial recorda que os líderes dos dois maiores partidos vão ter de "falar de muita coisa", como matérias que "exigem consensos de regime"

Marcelo Rebelo de Sousa congratulou-se esta tarde, na Nazaré, com o encontro entre o primeiro-ministro, António Costa, e o líder do PSD, Passos Coelho, dizendo que é uma "aproximação natural" e um sinal "muito bom", uma vez que é um encontro "entre dois protagonistas fundamentais na vida política portuguesa".

O candidato presidencial recomendado por PSD e CDS lembrou que Costa e Passos "vão ter de falar de muita coisa", incluindo matérias que "exigem consensos de regime". Marcelo comentou ainda as críticas do governo ao Banco de Portugal quanto às obrigações do Novo Banco, considerando que "o governo tem um papel fundamental na estabilização do sistema financeiro e, portanto, que compete ao governo ir acompanhando muito de perto o que se passa no BdP e aquilo que o governo considerar que deve ser feito para garantir essa estabilidade do sistema financeiro, se for eleito, não deixarei de secundar aquilo que o governo considerar fundamental fazer. Ou seja: mais uma vez carta branca para Costa.