Marcelo defende que homenagem a Cavaco Silva é "muito justa"

Presidente não quis comentar carta de vice-presidente da comissão europeia ao presidente do Parlamento Europeu que elenca fundos comunitários que poderão ser cortados em caso de sanções

O atual Presidente da República associou-se "à homenagem muito justa ao Presidente Cavaco Silva, não esquecendo os anos em que foi primeiro-ministro, mas em particular como Presidente pelo serviço ao país."

Marcelo Rebelo Sousa fez a ponte com a "também muito justa homenagem ao Presidente Mário Soares" que se realiza esta tarde. Defendeu até que esta é "uma boa coincidência: quer dizer que dois antigos presidentes continuam na memória coletiva e ambos merecem ser homenageados."

O Presidente da República lembrou ainda que também promoveu "a homenagem primeira ao Presidente Ramalho Eanes", explicando que "de alguma maneira há aqui o reconhecimento da continuidade constitucional da democracia e do papel fundamental dos Presidentes da República na democracia portuguesa".

O chefe de Estado englobou ainda no seu "pensamento o Presidente Jorge Sampaio que também teve um papel importante, independentemente da sua homenagem que venha a ocorrer no futuro." E acrescentou, falando aos jornalistas após estar alguns minutos à conversa e a trocar sorrisos com Cavaco Silva: "É essa a razão de ser da minha presença aqui."

Marcelo disse ter pena de não ficar para o almoço e não quis comentar a carta enviada pelo vice-presidente da comissão europeia, Jyrki Kaitanen, ao presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, com os fundos que serão cortados a Portugal em caso de aplicação de sanções. "Não vou comentar", limitou-se a dizer.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.