Marcelo: "Daqui a semanas sou presidente da República"

O antigo comentador político garante que será "politicamente imparcial mas socialmente parcial"

Marcelo Rebelo de Sousa diz em entrevista ao jornal Expresso que toda a sua candidatura a Belém é um risco desde o início e garante que se gastou 50 mil euros nesta fase de pré-campanha já terá sido muito.

O antigo comentador político da TVI defende que "quem for presidente vai ter de estar rigorosamente numa posição central e neutral, ser um fator de equilíbrio e abrir para a inclusão de todos, e para isso não pode estar de um lado ou do outro". Por isso, promete ser "politicamente imparcial mas socialmente parcial".

Na sua opinião o presidente da República vai ter de convocar mais vezes o Conselho de Estado e de fazer mais reuniões com o primeiro-ministro.

Recusando-se a avançar com cenários relativos à situação política, Marcelo assume a diferença de estatuto relativamente à que tinha há semanas. "Agora sou candidato presidencial e daqui a semanas sou presidente da República", diz.

Colocado perante a possibilidade de não passar à segunda volta e questionado em quem votaria, o professor diz: "Isso é mesmo um absurdo e eu não estou habituado a lidar com o absurdo. Parece-me uma evidência que ganho a primeira volta e ganho a segunda. Não tenho dúvidas nenhumas".

Julga que conhece "relativamente bem" António Costa, mas diz que só "na altura devida" perceberá o que ele tenciona fazer. "Para já, tomo por boas as declarações que faz quando se diz convencido de que pode durar a legislatura".

Ler mais

Exclusivos