Marcelo afirma que o que "é bom para Espanha corre bem para Portugal"

Mariano Rajoy foi afastado do governo espanhol na sequência da aprovação de uma moção de censura contra o governo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, escusou-se esta sexta-feira a comentar a situação política em Espanha, afirmando apenas que "o que é bom para Espanha corre bem para Portugal".

"Não vou comentar o governo espanhol, aquilo que desejamos sempre em relação aos países amigos é que sejam países com sucesso", disse o chefe de Estado português esta manhã, à margem de uma visita ao Centro Hospitalar Conde Ferreira, no Porto.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu que Espanha, "mais do que um país amigo, é um país vizinho e um país irmão, e ainda por cima é parceiro na União Europeia, na Aliança Atlântica, na Organização Ibero-Americana".

"Estamos muito ligados. Tudo que corra bem para Espanha corre bem para Portugal", disse.

O parlamento espanhol aprovou hoje a moção de censura que afasta o Governo de direita liderado por Mariano Rajoy, e ao mesmo tempo elegeu o novo primeiro-ministro, Pedro Sánchez, líder do PSOE, que promoveu essa proposta.

Mariano Rajoy esteve no poder durante seis anos e Pedro Sánchez irá tentar acabar a legislatura que termina em 2020.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).