Ataque a jovens "compromete futuro das sociedades europeias"

Presidente da República afirmou que um ataque contra jovens "atinge de forma especial aquilo que é mais o futuro das sociedades"

O Presidente da República considerou hoje que "qualquer atentado é condenável", mas sendo contra jovens, como o que aconteceu na segunda-feira em Manchester, no Reino Unido, "compromete o futuro das sociedades europeias".

Em declarações aos jornalistas no primeiro dia da sua visita de Estado ao Luxemburgo, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que "os atentados desta natureza preocupam sempre por serem uma violação da Constituição e da lei, são a violação da ética e da moral daquilo que é essencial no comportamento de sociedade democráticas e livres".

No entanto, tratando-se de um ataque que visou jovens, o Presidente considerou que "atinge de forma especial aquilo que é mais o futuro das sociedades europeias nas quais se inclui o Reino Unido".

Marcelo Rebelo de Sousa enviou uma mensagem de condolências à rainha de Inglaterra, Isabel II, em que manifestou a sua solidariedade "em nome do povo português, em particular para com as famílias das vítimas" e condenou o "bárbaro atentado".

Na mensagem, o Presidente português, que se encontra numa visita ao Luxemburgo, sublinhou a importância de uma "Europa unida no combate ao terrorismo e à defesa constante e permanente dos valores da democracia, da promoção da paz e do respeito pelos direitos humanos".

Pelo menos 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas numa explosão na Arena de Manchester, no norte da Inglaterra, na segunda-feira, no final de um concerto da cantora Ariana Grande, segundo o balanço mais recente da polícia.

O comandante da polícia de Manchester, Ion Hopkins, disse que as autoridades suspeitam que o responsável foi um homem apenas, que morreu na explosão e que "transportava um engenho explosivo improvisado, que detonou, causando esta atrocidade".

As autoridades britânicas estão a tratar este caso como um "incidente de terrorismo".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.