Mais de metade dos professores tem horário reduzido

A partir dos 50 anos, docentes têm direito a redução de horário. Envelhecimento determina diminuição da componente letiva

A maioria dos professores do terceiro ciclo e ensino secundário tem horário reduzido, ou seja, está menos de 20 horas por semana dentro da sala de aula. A notícia é avançada esta segunda-feira pelo jornal Público, que cita uma análise do perfil do docente em 2014/2015, divulgada pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC).

Quase metade dos professores de Português (47%) tem pelo menos 50 anos, segundo o documento, citado também pela agência Lusa, e que traça o perfil dos professores dos cinco grupos de recrutamento do 3.º ciclo e do secundário com mais número de docentes - Português, Matemática, Física e Química, Biologia e Geologia e Educação Física.

No total, 39,5% de todos estes professores têm pelo menos 50 anos, sendo que os restantes 40,7% têm entre 40 e 49 anos.

Nas escolas, são quase raros (0,9%) os professores com menos de 30 anos, sendo que apenas 18,9% têm menos de 40 anos.

Os professores de Português são os mais velhos, com quase metade (47,1%) a ter pelo menos 50 anos de idade, seguindo-se os de Física e Química (35%) e os de Matemática (32,7%).

Os mais jovens são os docentes de Educação Física: a maioria (44%) tem entre 40 e 49 anos e 33,6% estão na faixa etária dos 30 anos. Com pelo menos 50 anos são 21,7%.

O documento analisou também o número de horas de aulas que os professores dão por semana e pode ver-se que a maioria tem horário reduzido.

Mais de metade (53,4%) dos docentes daquelas quatro disciplinas tem menos de 20 horas de aulas semanais: 39,9% trabalha na sala de aula entre 14 a 19 horas por semana e 13,3% dá no máximo 13 horas de aulas.

Outro dos pontos analisados no relatório da DGEEC diz respeito ao sexo dos docentes e concluiu que a grande maioria (71,6%) são mulheres, com exceção da disciplina de Educação Física, onde 58,2% são homens.

O documento analisou ainda as habilitações literárias dos docentes e concluiu que a grande maioria (83%) tem uma licenciatura ou uma formação equiparada e apenas 13% têm um doutoramento ou mestrado.

O relatório da DGEEC revela ainda que 82,1% destes professores pertencem aos quadros e apenas 17,9% são contratados.

De acordo com os dados, mais de metade dos 73 mil docentes destes níveis de ensino tem horário reduzido e a situação dever-se-á, sobretudo, ao envelhecimento dos professores, já que a partir dos 50 anos deixam de ser obrigados a cumprir as 22 horas de aulas semanais, conforme definido no Estatuto da Carreira Docente. Mas também a falta de alunos faz com que haja cada vez mais professores com horário incompleto.

Exclusivos