Local "ideal" para nova travessia Porto/Gaia é entre pontes Luiz I e D. Maria

Presidente da Câmara do Porto garante que ainda não há projeto ou estudo

O presidente da Câmara do Porto defendeu hoje que a localização "ideal" para uma nova travessia rodoviária sobre o Douro seria "entre a pontes Luiz I e de D. Maria", mas notou não existir quaisquer projetos ou estudos.

Em declarações aos jornalistas nos Paços do Concelho, Rui Moreira observou que a nova ponte "pode ser à cota baixa", alertando que "a amarração" nas cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia "tem [ainda] de ser estudada com todo o cuidado", nomeadamente "no âmbito dos planos desenvolvimento dos municípios de ambos os lados".

"Se me pergunta se há um projeto a ser trabalhado, a resposta é não. Há é uma intenção e uma preocupação óbvia dos municípios. Gaia e do Porto colaboram um com o outro, têm uma excelente relação e têm vindo a equacionar quer isso, quer outros aspetos fundamentais de vizinhança", afirmou o autarca.

Questionado pelos jornalistas sobre a avaliação em curso de uma nova ponte sobre o Douro, avançada pelo próprio autarca na Assembleia Municipal do Porto de segunda-feira, Moreira indicou que a "solução" começou a ser equacionada depois de se perceber ser inviável o alargamento dos passeios para circulação pedonal e de bicicletas no tabuleiro inferior da ponte Luiz I.

"Houve um anteprojeto que defendia o alargamento do tabuleiro inferior da ponte Luiz I, permitindo que, através de passagens exteriores, fosse feita passagem para peões e bicicletas, libertando a faixa para o trânsito rodoviário", descreveu o autarca.

Contudo, alertou Moreira, "esse projeto não tem condições para andar porque não merece aprovação das entidades que classificam a ponte".

"Em função disso, o que falamos com Gaia é que temos de encontrar soluções. Essas soluções podem passar pela construção de uma nova ponte", esclareceu.

"Entendemos que seria mais interessante olhar para uma ponte a montante da Luiz I", acrescentou.

Quanto à localização exata, Moreira começou por responder "teremos que ver", admitindo depois como "ideal" entre as pontes Luiz e de D. Maria.

"Mas isso implica a amarração dos dois lados e isso está muito longe de ser estudado", alertou.

Questionado sobre se a ponte D. Maria não seria opção, Moreira notou que aquela travessia, que serviu a ferrovia, "não tem condições", nem a melhor localização.

"Gaia tem, para a ponte D. Maria, um projeto de ecopista que temos vindo a acompanhar. Esse projeto sim, parece fazer sentido. [A ponte D. Maria] não resolve problemas de mobilidade, até porque, dos dois lados, a atracação não faz muito sentido", afirmou.

O autarca observou ainda que, "se for pedonal", a nova travessia "tem de ser a cota baixa", mas que o mesmo pode acontecer "se for rodoviária".

"Só temos uma passagem à cota baixa, que é o tabuleiro inferior da Luiz I. Não temos nenhuma à cota média e as outras são todas à cota alta. Temos, de facto, um problema histórico nas ligações Porto--Gaia", notou.

Para Moreira, "estas questões têm de ser estudadas com todo o cuidado".

"O problema é a amarração dos dois lados. Isto tem de ser visto no âmbito dos planos desenvolvimento dos municípios de ambos os lados, disse.

A câmara do Porto revelou na terça-feira que está, juntamente com a congénere de Vila Nova de Gaia, a "avaliar a possibilidade de construir uma nova ponte" sobre o Douro e que, "caso avance a ideia, a localização mais provável será a montante da ponte Luiz I".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...