Local "ideal" para nova travessia Porto/Gaia é entre pontes Luiz I e D. Maria

Presidente da Câmara do Porto garante que ainda não há projeto ou estudo

O presidente da Câmara do Porto defendeu hoje que a localização "ideal" para uma nova travessia rodoviária sobre o Douro seria "entre a pontes Luiz I e de D. Maria", mas notou não existir quaisquer projetos ou estudos.

Em declarações aos jornalistas nos Paços do Concelho, Rui Moreira observou que a nova ponte "pode ser à cota baixa", alertando que "a amarração" nas cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia "tem [ainda] de ser estudada com todo o cuidado", nomeadamente "no âmbito dos planos desenvolvimento dos municípios de ambos os lados".

"Se me pergunta se há um projeto a ser trabalhado, a resposta é não. Há é uma intenção e uma preocupação óbvia dos municípios. Gaia e do Porto colaboram um com o outro, têm uma excelente relação e têm vindo a equacionar quer isso, quer outros aspetos fundamentais de vizinhança", afirmou o autarca.

Questionado pelos jornalistas sobre a avaliação em curso de uma nova ponte sobre o Douro, avançada pelo próprio autarca na Assembleia Municipal do Porto de segunda-feira, Moreira indicou que a "solução" começou a ser equacionada depois de se perceber ser inviável o alargamento dos passeios para circulação pedonal e de bicicletas no tabuleiro inferior da ponte Luiz I.

"Houve um anteprojeto que defendia o alargamento do tabuleiro inferior da ponte Luiz I, permitindo que, através de passagens exteriores, fosse feita passagem para peões e bicicletas, libertando a faixa para o trânsito rodoviário", descreveu o autarca.

Contudo, alertou Moreira, "esse projeto não tem condições para andar porque não merece aprovação das entidades que classificam a ponte".

"Em função disso, o que falamos com Gaia é que temos de encontrar soluções. Essas soluções podem passar pela construção de uma nova ponte", esclareceu.

"Entendemos que seria mais interessante olhar para uma ponte a montante da Luiz I", acrescentou.

Quanto à localização exata, Moreira começou por responder "teremos que ver", admitindo depois como "ideal" entre as pontes Luiz e de D. Maria.

"Mas isso implica a amarração dos dois lados e isso está muito longe de ser estudado", alertou.

Questionado sobre se a ponte D. Maria não seria opção, Moreira notou que aquela travessia, que serviu a ferrovia, "não tem condições", nem a melhor localização.

"Gaia tem, para a ponte D. Maria, um projeto de ecopista que temos vindo a acompanhar. Esse projeto sim, parece fazer sentido. [A ponte D. Maria] não resolve problemas de mobilidade, até porque, dos dois lados, a atracação não faz muito sentido", afirmou.

O autarca observou ainda que, "se for pedonal", a nova travessia "tem de ser a cota baixa", mas que o mesmo pode acontecer "se for rodoviária".

"Só temos uma passagem à cota baixa, que é o tabuleiro inferior da Luiz I. Não temos nenhuma à cota média e as outras são todas à cota alta. Temos, de facto, um problema histórico nas ligações Porto--Gaia", notou.

Para Moreira, "estas questões têm de ser estudadas com todo o cuidado".

"O problema é a amarração dos dois lados. Isto tem de ser visto no âmbito dos planos desenvolvimento dos municípios de ambos os lados, disse.

A câmara do Porto revelou na terça-feira que está, juntamente com a congénere de Vila Nova de Gaia, a "avaliar a possibilidade de construir uma nova ponte" sobre o Douro e que, "caso avance a ideia, a localização mais provável será a montante da ponte Luiz I".

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.