Lisboa em 3.º lugar em relatório que avalia cidades na área da Cultura

Lisboa surge na terceira posição na lista de cidades entre 500 mil e um milhão de habitantes de um relatório da Comissão Europeia que avalia a performance das cidades europeias nas áreas da Cultura e da Criatividade.

Lisboa ocupa o terceiro lugar do 'ranking' geral no grupo de cidades da categoria XL (com 34 cidades; as 168 cidades europeias analisadas foram dividas por números de habitantes), atrás de Copenhaga e Amsterdão, de acordo com o relatório "The Cultural and Creative Cities Monitor", cuja primeira edição foi disponibilizada na plataforma 'online' Travel BI do Turismo de Portugal.

O relatório recorda que Lisboa "é conhecida como uma capital variada e multicultural", tendo sido Capital Europeia da Cultura em 1994 e acolhido "vários eventos internacionais" como a Expo'98 e o Euro 2004, que "impulsionaram a infraestrutura e as atividades culturais locais".

"A Cultura é vista como uma ferramenta para a coesão social graças à experiência positiva da Galeria de Arte Urbana (GAU) [da Câmara Municipal de Lisboa], que promove o uso do espaço público como meio para o 'graffiti' e a arte urbana", lê-se no relatório.

A Comissão Europeia refere ainda que "espaços de coworking, 'fab labs' (espaço de fabricação digital) e incubadoras de 'start-ups' estão agora disponíveis em zonas reabilitadas".

A juntar a "eventos internacionais de longa duração como a Trienal de Arquitetura, a ModaLisboa e o Lisbon & Estoril Film Festival", a cidade começou a acolher "novos eventos relacionados com criatividade, com o Fórum Europeu de Hubs (polos) Criativos, em 2015, ligando mais de 200 polos criativos da Europa".

Na categoria XL, Lisboa ocupa o primeiro lugar no índice de Dinamismo Cultural (uma média ponderada de duas dimensões que captam elementos do "pulso cultural" das cidades: Locais e Instalações Cultural, 50%, e Participação Cultural e Atratividade, 50%).

A cidade está ainda no 9.º lugar do índice de Economia Criativa (média ponderada de três dimensões: Trabalhos Criativos e Baseados em Conhecimento, 40%, Propriedade Intelectual e Inovação, 20%, e Novos Empregos em Setores Criativos, 40%) e no 15.º no de Ambiente Favorável (média ponderada de quatro dimensões: Capital Humano e Educação, 40%, Abertura, Tolerância e Confiança, 40%, Ligações Locais e Internacionais, 15%, e Qualidade de Governança, 5%).

No relatório surgem ainda outras três cidades portuguesas, na categoria S-M (entre 50 e 250 mil habitantes): o Porto ocupa o 13.º lugar, Coimbra o 15.º e Guimarães o 32.º numa lista de 34 cidades.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

"Petróleo, não!" Nesta semana já estivemos perto

1. Uma coisa é termos uma vaga ideia de quão estupidamente dependemos dos combustíveis fósseis. Outra, vivê-la em concreto. Obrigado aos grevistas. A memória perdida sobre o "petróleo" voltou. Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.