Lince ibérico foi capturado em Barcelona

Lítio estava desaparecido de Portugal desde 2016 até ser avistado nos últimos dias na Catalunha. Hoje foi apanhado

O Lítio, o lince ibérico que estava desaparecido de Portugal desde 2016, foi hoje capturado em Barcelona, após cair num dispositivo montado para a captura por técnicos do projeto europeu Life Iberlince e agentes do Departamento de Território da Generalitat da Catalunha. "São e salvo" foi como descreveram os técnicos ao El País, sem adiantar mais pormenores.

O animal tinha sido detetado em Barcelona em 29 de maio, e também durante o último fim de semana num bosque na área metropolitana da capital catalã, não tendo sido revelado o local exato para evitar a deslocação de curiosos. Estava em paradeiro desconhecido desde 2016, altura em que o colar de GPS que transportava deixou de emitir sinal.

Após ter sido avistado na Catalunha por agentes rurais, uma equipa espanhola criou um dispositivo de quatro jaulas colocadas na área onde andaria e foi capturado, tendo em conta as pegadas e os excrementos que deixava. O Lítio, um macho Lynx pardinus nascido em 2014, está a ser acompanhado por veterinários e deve ficar num centro espanhol até ser decidido o seu retorno ao seu território original, o Algarve, onde foi libertado na região do Vale do Guadiana.

A captura e posterior libertação do lince é liderada por técnicos do projeto Life Iberlince, em que participam Portugal e Espanha, que tem como objetivo a recuperação da distribuição histórica da espécie através da sua reintrodução no seu habitat inicial. Os trabalhos de conservação desenvolvidos já permitiram passar o número de animais de 94 exemplares em 2002 para 589 no último censo feito em 2017.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.