Líder parlamentar despede-se "com tristeza" de Passos Coelho

O presidente do PSD anunciou hoje na reunião do grupo parlamentar do partido que renunciará ao mandato de deputado no final de fevereiro

O líder parlamentar do PSD, Hugo Soares, disse compreender a decisão de Passos Coelho de renunciar ao mandato de deputado, mas admitiu ter recebido o anúncio hoje feito "com tristeza".

"Foi para mim um privilégio muito grande ter servido o partido e o país ao lado de alguém com as características do doutor Pedro Passos Coelho e hoje o grupo parlamentar mais uma vez deu esse testemunho, de gratidão e de orgulho, e disse-lhe com muito afeto, com muito carinho, um até já", afirmou Hugo Soares, no final de uma reunião da bancada do PSD que durou quase três horas.

Questionado se concorda com a perspetiva do ex-dirigente social-democrata Miguel Relvas, que em entrevista hoje ao Público e à Rádio Renascença, diz que o próximo líder do PSD pode durar apenas dois anos, Hugo Soares escusou-se a comentar por não a ter "lido ao detalhe".

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, anunciou hoje na reunião do grupo parlamentar do partido que renunciará ao mandato de deputado no final de fevereiro, já depois do próximo Congresso social-democrata, recebendo uma ovação de pé no final da intervenção.

No fim da reunião, instado pelos jornalistas a comentar a reação da bancada à sua saída, Passos Coelho disse apenas que a recebeu "com muito prazer, pessoal e político", salientando que foi deputado muitos anos, mas escusou-se a fazer mais declarações.

O PSD escolhe no sábado em eleições diretas o próximo presidente e sucessor de Pedro Passos Coelho - que lidera o partido desde 2010 -- disputadas entre Pedro Santana Lopes e Rui Rio.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.