Lenda denuncia escapadelas de D. Dinis com meninas

Os devaneios do rei D. Dinis com umas meninas de Odivelas, com quem dava umas escapadelas nocturnas e enganava a mulher, a rainha Santa Isabel, vão ser retratados na marcha do Lumiar.

Carla Botão, da organização da marcha, conta ao DN que o tema explica a origem do Lumiar: "O rei D. Dinis já era casado com a rainha Santa Isabel, mas tinha o hábito de ir visitar à noite, de vez em quando, umas meninas no Convento de Odivelas. A rainha quis fazer-lhe ver, de forma subtil, que sabia dessas suas escapatórias nocturnas."

"Foi atrás dele com as suas aias, que levavam archotes. Quando ele regressava a casa, já depois de ter estado com as meninas, cruzaram--se a meio do caminho. A rainha disse-lhe: Ide vê-las, ide vê-las, que estamos a alumiar o caminho", relatou.

Nas cores destaca-se o azul-forte, o vermelho-forte, dourado e muito prateado.

Segundo revelou, "os arcos formam janelas medievais, com muita fantasia. Vão ter rosas brancas e cor-de-rosa para retratar a lenda mais conhecida da rainha Santa Isabel, que diz 'são rosas, senhor, são rosas'. Dentro das janelas vai haver luzes com lâmpadas e imagens".

"Vamos ter um trono e um lindo cavalo. Na marcha, as mulheres levam archotes prateados a deitar fogo a sério. Os homens levam tambores", adiantou Carla Botão.

Esta marcha "custou cerca de 40 mil euros, tendo a nossa junta de freguesia ajudado a pagar a diferença de dez mil euros sobre o subsídio da câmara", explicou.

Ler mais

Exclusivos