Jerónimo de Sousa desafia PS, PSD e CDS a aprovar reposição das freguesias

Secretário-geral do PCP quer devolver o poder local às populações

O secretário-geral do PCP desafiou hoje na Maia o PS, PSD e CDS a "aprovarem, num futuro próximo", a reposição do projeto de freguesias que há um ano vetaram, devolvendo o poder local às populações.

Discursando no comício de apoio à cabeça-de-lista da CDU à autarquia da Maia, Ana Virginia, o líder comunista Jerónimo de Sousa disse querer o reforço da proximidade do poder local às populações, "garantindo maior participação e resposta aos problemas locais com a devolução das freguesias liquidadas pelo governo do PSD/CDS".

"Desafiamos o PS, PSD e CDS a aprovarem num futuro próximo o que há menos de um ano rejeitaram, quando o PCP apresentou um projeto de reposição das freguesias que respeitasse a vontade das populações e dos órgãos autárquicos", disse.

Defendendo a aprovação do projeto de lei do PCP de uma nova lei de finanças locais "para assegurar a reposição da capacidade financeira dos municípios e freguesias", Jerónimo de Sousa considerou-o "um reforço essencial para assegurar o exercício das suas competências, novos investimentos, melhores serviços públicos, mais oferta cultural e desportiva".

"Sabemos que estamos aquém do que é necessário para melhorar as condições de vida dos trabalhadores e do povo", disse numa alusão à realidade do país, argumentando que não sendo ainda o que "é justo e se impõe", há avanços, graças à iniciativa da CDU e do seu papel no "quadro das alterações verificadas na composição da Assembleia da República e da sua acrescida influência condicionadora das opções políticas."

Elencando algumas das "vitórias" comunistas no diálogo com o Governo, o líder do PCP lembrou entre outros "a gratuitidade dos manuais escolares a todos os alunos do I Ciclo, cerca de 370 mil, no ano lectivo que agora se inicia".

Lembrando o "aumento extraordinário das pensões de reforma, abrangendo mais de dois milhões de reformados com pensões até 631 euros", o líder comunista afirmou que se há uma conclusão a tirar da derrota do governo do PSD/CDS qé aquela que "mostra o estrondoso desastre do caminho seguido por sucessivos governos nos últimos anos, e que teve na política do anterior governo a sua versão mais violenta e perniciosa".

"Isso está patente na evolução da situação económica e social e nos seus indicadores sobre o crescimento e o emprego", frisou Jerónimo de Sousa, num comício que juntou na Maia cerca de uma centena de pessoas.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub