Jerónimo retira "engraçadinha" se alguém no BE "enfiou a carapuça"

Líder comunista garante que "não estava a pensar em ninguém em concreto". Disse ainda que Edgar Silva foi prejudicado pela adesão a Sampaio da Nóvoa e pela anunciada vitória de Marcelo

O secretário-geral do PCP reconheceu hoje, após reunião do Comité Central, que o pior resultado de um candidato presidencial comunista, domingo, resultou da adesão ao concorrente Sampaio da Nóvoa e da anunciada vitória de Marcelo Rebelo de Sousa.

"Nestas eleições, o objetivo declaradamente assumido de derrotar o candidato de PSD/CDS e colocar na Presidência quem contribuísse para a defesa e cumprimento da Constituição foi entendido por muitos democratas e patriotas como uma expressão do seu voto na candidatura de Sampaio da Nóvoa na primeira volta, antecipando aquilo que apenas se colocaria na segunda volta, afetando assim o resultado de Edgar Silva", disse Jerónimo de Sousa.

O líder comunista acrescentou ainda que os escassos 4% obtidos por Edgar Silva também se deveram à "insistente proclamação da vitória de Marcelo Rebelo de Sousa à primeira ou segunda volta", a qual terá contribuído para "conduzir à abstenção de muitos milhares de eleitores".

Jerónimo de Sousa afirmou ainda que retirava o que disse na noite eleitoral sobre a hipótese de apresentar uma candidatura "mais engraçadinha, com discurso ajeitadamente populista", caso alguém no BE tenha "enfiado a carapuça".

Na conferência de imprensa sobre as conclusões da reunião do Comité Central do PCP, Jerónimo de Sousa foi confrontado com as próprias declarações na noite de domingo. "Nós podíamos apresentar um candidato ou uma candidata assim mais engraçadinha... em que fosse fácil, com um discurso ajeitadamente populista, pudesse aumentar o número de votos", dissera.

"Não foi bem, não estava a pensar em ninguém em concreto, se alguém se sentiu ofendido retiro o que disse, já cá não esta quem falou. Se essa interpretação persistir já cá não está quem falou... foi uma imagem em sentido geral... parece que alguém enfiou a carapuça, se assim entendem, fiquem descansados, que eu retiro o que disse", afirmou.

A candidata presidencial do BE, Marisa Matias, alcançou a terceira posição, com 10% dos votos, atrás do ex-reitor da Universidade de Lisboa Sampaio da Nóvoa e à frente da antiga presidente do PS Maria de Belém (4,2%) e do concorrente apoiado pelo PCP, Edgar Silva (4%), enquanto o ex-presidente do PSD Marcelo Rebelo de Sousa vai ser o quinto Presidente da República (52%) desde 1976.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...