Isaltino volta a concorrer a Oeiras. Na prisão também pensou ser candidato

Isaltino Morais governou em Oeiras durante 24 anos e trabalhou durante oito com Paulo Vistas, contra quem concorre agora

Antigo autarca avança contra o PSD e o movimento que o próprio criou em 2013. Diz-se desiludido com a governação atual

Isaltino Morais é candidato à Câmara Municipal de Oeiras, nas próximas eleições autárquicas de 1 de outubro, revela o próprio em entrevista à TSF, difundida hoje. O antigo autarca social-democrata avança agora como independente, depois de ter estado preso, de ter recusado candidatar-se pelo PSD e dizendo-se desafiado pelos munícipes, que estão desiludidos com a atual governação de Paulo Vistas.

Segundo afirmou Isaltino Morais, este é o momento para se apresentar como candidato. "Tenho uma responsabilidade que era esta. A atual solução governativa da câmara decorreu de um movimento que eu próprio criei e mau seria se, intempestivamente, eu há um ou dois anos dissesse que em 2017 era candidato."

Nesse caso, explicou-se, estaria a dar um pretexto a Paulo Vistas - o candidato que ganhou a autarquia de Oeiras, em 2013, em nome do movimento Isaltino Oeiras Mais à Frente - para vir dizer que era o próprio a "criar instabilidade" e "muito antes do tempo adequado estava a criar problemas e a desviar atenções". Perante o cenário atual, no qual "o atual presidente da câmara já anunciou a candidatura, o PS também e o PSD do mesmo modo (ainda que não publicamente e não esteja sufragado)", Isaltino vê que "não há nenhuma razão para prolongar a decisão": "Posso aqui dizer-lhe, categoricamente, que vou ser candidato à Câmara Municipal de Oeiras", disse, na entrevista à TSF.

Depois de ter sido presidente da autarquia limítrofe de Lisboa durante 24 anos, de ter trabalhado perto de oito com Paulo Vistas, o antigo homem forte do PSD de Oeiras e que foi episodicamente ministro de Durão Barroso (demitiu-se na véspera de cumprir um ano nesse governo) recusou falar em traição ao atual presidente da câmara. "Desiludiu-me a governação. Oeiras deixou de ser falada nos últimos quatro anos. A voz de Oeiras não existe. Isto é uma constatação objetiva que é feita pelos cidadãos de Oeiras. Repare, eu quase não posso circular por Oeiras, em qualquer localidade que eu me desloque, as pessoas vêm-me apresentar a sua desilusão. Se me perguntar se eu esperava melhor, claro que esperava."

Segundo Isaltino Morais, os nomes que o vão acompanhar serão todos novos e independentes. "Nenhum dos atuais presidentes de junta será meu candidato", afirmou, rejeitando ter assediado qualquer atual presidente de junta para ser seu candidato. Também "para a vereação serão pessoas que nunca foram vereadores", garantiu.

O agora candidato afirmou-se convicto que a prisão não o deve prejudicar. "Eu não posso ser perentório em relação aquilo que as pessoas pensam. Acredito que uma parte significativa se não a maioria das pessoas, porque me conhecem, sabem a minha vida, sabem como vivi, considera que eu sou uma pessoa honesta."

Foi na prisão, aliás, que também lhe surgiu esta possibilidade de voltar à autarquia. "Quando estive preso tive muito tempo para pensar. As noites eram muito longas. Pensava-se em tudo, refletia-se em muito. Passa-me tudo pela cabeça. Nunca me passou pela cabeça não fazer nada. Passou-me pela cabeça fazer tudo." Incluindo ser presidente da Câmara de Oeiras, questionou o jornalista. "Tudo."

Para financiar a campanha eleitoral que se avizinha, o candidato assume que o deve conseguir com dinheiros públicos. "Eu espero que sejam as pessoas a financiar a minha campanha. Hoje a lei prevê que o Estado financie as campanhas autárquicas em função dos resultados eleitorais. Estou convencido que vou conseguir um resultado que pague a campanha na totalidade."

E deixou já uma promessa. "Se alguém pensa que vou regressar para dar continuidade ao que fiz, quero dizer que volto como se fosse o meu primeiro dia como autarca."

Vistas contra antigo autarca e PSD

A 30 de março, o atual presidente da Câmara de Oeiras, Paulo Vistas, disse ao DN que tinha convidado Isaltino Morais para ser candidato em outubro a presidente da Assembleia Municipal nas listas do movimento "Independentes, Oeiras mais à Frente" (e que substitui agora o anterior "Isaltino, Oeiras Mais À Frente"). "Ele respondeu-me que só seria candidato em nome próprio", afirmou então Vistas. E aí está agora a confirmação de que o antigo autarca avança como independente, sem o apoio do PSD. Os sociais-democratas sondaram Isaltino em setembro e Paulo Vistas rejeitou o apoio do PSD, na referida notícia do DN. Tudo somado: em Oeiras, haverá três candidaturas que têm na origem o PSD.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub