Arcebispo de Braga pede medidas e critica "passa-culpas"

Jorge Ortiga defende que mais importante do que fazer-se relatórios é aplicar as suas conclusões na prática

O arcebispo de Braga, Jorge Ortiga, defendeu hoje que os relatórios sobre incêndios só fazem sentido se servirem para corrigir o que correu mal e criticou o "passa-culpas" das entidades responsáveis pela prevenção e combate aos fogos.

"Dá impressão que surgem estes relatórios e a grande preocupação é desculparem-se. O Ministério do Interior [da Administração Interna] que se desculpa, a Proteção Civil que se desculpa e não somos capazes de assumir a responsabilidade", referiu.

Jorge Ortiga falava aos jornalistas durante uma ação de plantação de árvores na mata do Bom Jesus, em Braga, e reagia assim ao relatório da Comissão Técnica Independente sobre os incêndios de outubro, envolvendo oito distritos das regiões Centro e Norte

Para o arcebispo de Braga, os relatórios "são importantíssimos e imprescindíveis", mas desde que não fiquem "no papel".

Jorge Ortiga apelou a que se tirem "conclusões práticas e concretas" e se ponha a funcionar "de modo adequado" o que se constatar que correu mal.

"O que importa é que se chegue a conclusões práticas e que não fiquemos com um relatório, porque não faltam relatórios na história do nosso país nos últimos tempos que depois deixam tudo na mesma", rematou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

25 de Abril

"Em Peniche, fechei a boca, nunca disse nada, levei muita pancada"

Esteve para ser entregue a privados, mas o governo voltou atrás e decidiu converter a fortaleza em Museu Nacional da Resistência e da Liberdade. Querem preservar a memória daqueles que por aqui passaram. Foram 2500, sobrevivem 50. Entre eles, José Pedro Soares, que nos guiou pelos corredores estreitos até à sua antiga cela.