Vai ser julgado homem que terá aliciado menores com droga a troco de fotos sexuais

Está detido em Beja e é acusado de sete crimes sexuais

O homem que terá aliciado menores em Ferreira do Alentejo para lhe darem, em troca de droga, fotografias em poses sexuais, que divulgava na Internet, vai ser julgado por oito crimes, disse hoje fonte do Ministério Público.

A fonte explicou à agência Lusa que o Ministério Público (MP) já deduziu a acusação contra o homem, imputando-lhe a prática de sete crimes sexuais e um de tráfico de droga, e remeteu o processo para julgamento por um coletivo de juízes no Tribunal Judicial de Beja.

Segundo informações divulgadas na página da Procuradoria da Comarca de Beja na Internet, o homem está acusado de três crimes de recurso à prostituição de menores (um consumado, um tentado e outro agravado na forma tentada), dois de aliciamento de menores para fins sexuais, dois de pornografia de menores (um consumado e outro agravado na forma consumada) e um de tráfico de estupefacientes.

O homem, de 27 anos e com antecedentes criminais, foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) em maio do ano passado, em Ferreira do Alentejo, no distrito de Beja, em cumprimento de um mandado de detenção emitido pelo MP e "pela presumível prática dos crimes de pornografia de menores, aliciamento de menores para fins sexuais e tráfico de estupefacientes".

Segundo a PJ, o homem, que está em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Beja, alegadamente, obtinha de menores, "mediante a contrapartida" de lhes fornecer droga para consumirem, fotografias em poses sexuais, que "posteriormente divulgava na Internet".

Após a detenção, o homem foi sujeito a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Ferreira do Alentejo, que lhe decretou a medida de coação de prisão preventiva.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.