Homem encontrado morto no rio Tejo

Vítima tinha 46 anos e foi encontrada na Moita, Setúbal. Não foi reportado nenhum desaparecimento na zona

Um homem foi encontrado sem vida pelas 9:00 no rio Tejo na cidade da Moita, distrito de Setúbal. Ao DN, o comandante Coelho Gil disse que a vítima tinha 46 anos e que não foi reportado nenhum desaparecimento na zona.

Segundo o comandante Pedro Fonseca, porta-voz da polícia marítima nacional, vão ser feitas peritagens para estabelecer se existem ou não indícios de crime, sendo que só será possível determinar a causa da morte após a autópsia. O corpo não apresentava sinais de violência.

O cadáver já foi levado para terra, mas o óbito ainda não foi declarado, o que só será feito pelo Delegado Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, para depois ser transportado para o Instituto de Medicina Legal.

No local estão 10 operacionais com quatro viaturas da Polícia Marítima e dos Bombeiros Voluntários da Moita.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.