Homem detido no Porto após atropelamento e fuga

Vítima foi levada para o hospital. Detido tem 55 anos e foi preso depois de se ter despistado contra uma árvore após perseguição

Um homem de 55 anos foi detido hoje no Porto por suspeita de atropelamento e fuga, informou a PSP.

Segundo um comunicado divulgado hoje, um agente da PSP de serviço na Avenida dos Aliados, no Porto, verificou que o suspeito se pôs em fuga na sequência de um atropelamento.

Foi iniciada perseguição, com ajuda de um condutor que ali circulava, tendo o suspeito sido detido na rua do Ouro, depois de se ter imobilizado após colisão da sua viatura com uma árvore.

Durante a fuga o homem de 55 anos conduziu de forma perigosa, desobedecendo a várias regras e até a sinais vermelhos e colidiu com uma viatura da polícia que circulava numa rua da cidade.

A vítima do atropelamento foi levada para um hospital através dos meios de socorro, mas a PSP nada adianta sobre o seu estado de saúde.

O condutor e suspeito não estava habilitado para conduzir o veículo em que circulava.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.