Atropelamento e fuga. Homem de 55 anos morre em Torres Novas

Um homem de 55 anos morreu hoje em Torres Novas na sequência de um atropelamento seguido de fuga do condutor

O atropelamento com fuga ocorreu por volta da 01:00, na localidade de Pintainhos, tendo envolvido um veículo ligeiro, afirmou a mesma fonte.

De acordo com o CDOS de Santarém, a vítima ainda foi assistida "por uma enfermeira que ia a passar", mas o óbito acabou por ser declarado no local.

Segundo fonte do Comando Territorial da GNR de Santarém, o suspeito de atropelamento "ainda não foi detido", estando a decorrer diligências para apurar a identidade do condutor.

Também "as circunstâncias em que decorreu o atropelamento estão por apurar", disse à agência Lusa a mesma fonte.

No terreno estiveram meios da GNR, INEM e Bombeiros de Torres Novas.

Também no local esteve o Núcleo de Investigação de Crimes de Acidentes de Viação (NICAV) da GNR e o Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise (CAPIC) do INEM, acrescentou fonte do CDOS de Santarém.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.