Homem condenado a 25 anos de prisão pelo homicídio dos pais e da irmã

O homem acusado de ter assassinado os pais e a irmã com tiros de caçadeira, em agosto de 2017, em Santana, no norte da Madeira, foi hoje condenado pelo tribunal a 25 anos de prisão.

Na leitura do acórdão, o juiz Filipe Câmara indicou que o arguido, José Emiliano Martins, de 51 anos, agiu de "forma consciente e de má fé", com o propósito de matar os pais e a irmã, crime que ocorreu quando estes se encontravam a dormir.

O tribunal condenou-o a duas penas de prisão de 25 anos pelos homicídios do pai, de 78 anos, e da mãe, de 73 anos, e uma pena de 20 anos pela morte da irmã, de 53 anos, o que em cúmulo jurídico resulta numa pena única de 25 anos.

O arguido foi ainda condenado a pagar uma indemnização ao irmão - 114 mil euros - e a dois sobrinhos - 90 mil euros a cada -, tendo-lhe sido também retirado o direito de herança sobre os bens dos pais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

No PSD não há inocentes

Há coisas na vida que custam a ultrapassar. A morte de alguém que nos é querido. Uma separação que nos parece contranatura. Ou uma adição que nos atirou ao charco e da qual demoramos a recuperar. Ao PSD parece terem acontecido as três coisas em simultâneo: a morte - prematura para os sociais democratas - de um governo, imposta pela esquerda; a separação forçada de Pedro Passos Coelho; e uma adição pelo poder que dá a pior das ressacas em política.