Homem condenado a 19 anos de prisão por degolar esposa

O Tribunal de Benavente condenou hoje a 19 anos de prisão o homem acusado de homicídio qualificado, por ter degolado a esposa.

O Tribunal determinou ainda que o arguido, de 26 anos, seja expulso do país após cumprir dois terços da pena, e pague uma indemnização de 180 mil euros à mãe da vítima.

Para o coletivo de juízes, ficou provado que Bouna Sackho matou a esposa Helmina Biem, de 23 anos, com uma faca, no quarto do casal, "na sequência de uma discussão devido à rutura iminente do casamento". O Tribunal não deu qualquer relevância à tese apresentada pelo arguido, durante o julgamento, de que teria agido em legítima defesa.

A presidente do coletivo, Carla Ventura, considerou o crime "atroz", destacando o facto de o homicida, em momento algum, "ter demonstrado arrependimento ou emoção".

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.