Hermínio Loureiro renuncia à Câmara de Oliveira de Azeméis

Autarca anuncia a saída da "cena política"

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Hermínio Loureiro, anunciou hoje um ponto final no cargo, por entender "que é muitas vezes mais importante saber sair da cena política, do que a ela se apresentar".

De acordo com uma declaração transmitida na Câmara Municipal, à qual a Lusa teve acesso, Hermínio Loureiro (PSD), reeleito em 2013 para a presidência da autarquia, disse se tratava da conclusão "da atividade política como dirigente eleito pelos munícipes, transmitindo os destinos do concelho a outras pessoas, igualmente preparadas, no quadro previsto na legislação em vigor".

Com a demissão da autarquia onde conta com Ricardo Tavares como vice-presidente, Hermínio Loureiro retira-se assim dos cargos que ocupa como presidente do Conselho Metropolitano do Porto, na comissão executiva do Turismo do Porto e Norte de Portugal, no conselho geral da Associação Nacional de Municípios Portugueses e enquanto representante dos municípios no Conselho Nacional do Desporto, segundo fonte próxima.

"Pelas razões que exponho e pelas considerações feitas neste momento, apresento a minha renúncia do cargo de presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis. Solicito ainda que inicie de imediato o processo da minha exoneração e substituição em todos os cargos e funções que desempenho por eleição ou inerência do cargo de presidente do município de Oliveira de Azeméis", acrescentou.

Hermínio Loureiro deixou um agradecimento às várias figuras com quem trabalhou ao longo dos anos: "Respeito todos os autarcas e toda a classe política de Oliveira de Azeméis, sejam eles de que forças políticas forem e a todos agradeço o envolvimento que tiveram, comigo, ao longo destes 16 anos de trabalho autárquico, muito em especial à minha equipa de vereadores, ao meu gabinete e aos colaboradores mais próximos", estendendo ainda os agradecimentos ao presidente da Assembleia Municipal, às Juntas de Freguesia e aos trabalhadores do município.

"Comovido e fundamentalmente grato, neste momento singular e muito difícil, o presidente Hermínio Loureiro despede-se calorosamente de todos vós. O cidadão Hermínio Loureiro, esse, está e estará onde sempre esteve, ou seja, em Oliveira de Azeméis", realçou.

Segundo fonte próxima, Hermínio Loureiro não vai sair dos cargos que ocupa na área desportiva, em particular como vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol e do Comité Olímpico de Portugal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Patrícia Viegas

Espanha e os fantasmas da Guerra Civil

Em 2011, fazendo a cobertura das legislativas que deram ao PP de Mariano Rajoy uma maioria absoluta histórica, notei que quando perguntava a algumas pessoas do PP o que achavam do PSOE, e vice-versa, elas respondiam, referindo-se aos outros, não como socialistas ou populares, não como de esquerda ou de direita, mas como los rojos e los franquistas. E o ressentimento com que o diziam mostrava que havia algo mais em causa do que as questões quentes da atualidade (a crise económica e financeira estava no seu auge e a explosão da bolha imobiliária teve um impacto considerável). Uma questão de gerações mais velhas, com os fantasmas da Guerra Civil espanhola ainda presente, pensei.