Guilherme Figueiredo eleito bastonário da Ordem dos Advogados

Elina Fraga, atual bastonária, perdeu a eleição por 669 votos

Guilherme Figueiredo é o novo bastonário da Ordem dos Advogados. Os resultados da segunda volta das eleições, que decorreu ontem, foram publicados na manhã desta quarta-feira no portal da ordem: a lista H de Figueiredo conseguiu 9862 votos, contra 9193 da lista K de Elina Fraga, que deixa assim a liderança do Ordem dos Advogados sem um segundo mandato.

Nas eleições de 18 de novembro, Elina Fraga foi a candidata mais votada, com 8706 votos, enquanto Guilherme Figueiredo conseguiu 7838 votos.

Ao contrário do que acontecera até aqui, não foi eleito automaticamente o candidato mais votado: os novos estatutos da Ordem dos Advogados definem que o novo bastonário deverá obter mais de 50% do total dos votos.

Guilherme Figueiredo já se tinha candidatado a bastonário no triénio anterior. Antes, exerceu o cargo de presidente do Conselho Regional do Porto. Tem 60 anos, é licenciado pela Faculdade de Direito de Coimbra e exerce advocacia desde 1984. Nasceu e vive no Porto e exerce advocacia em prática individual, num escritório arrendado com mais colegas.

Nas últimas eleições, Elina Fraga, alcançou 30,4% dos votos e Guilherme Figueiredo 16,4% do eleitorado. Agora que foi eleito bastonário, Figueiredo viverá entre Lisboa e Porto. Tem uma forte ligação às artes e ao teatro. Atualmente, é presidente da Fundação Júlio Resende, publicou um livro de poesia em 2014, foi homenageado no Palácio de Cristal em 2013, fez parte do júri de festivais de cinema internacionais e frequentou um curso de realização de cinema com Lauro António.

A candidata derrotada fora eleita em 2013, com o apoio de António Marinho e Pinto. Natural de Valpaços, Trás-os-Montes, Elina Fraga foi a segunda mulher a ocupar o cargo de bastonária, depois de Maria de Jesus Serra Lopes, nos anos 90.

Nas eleições para a Ordem dos Advogados houve um total de 20608 votos, 209 nulos e 1344 votos em branco.

Em simultâneo, tiveram também lugar as eleições para os órgãos da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores (CPAS): a lista mais votada foi a de António Costeira Faustino, com 4292 votos num total de 14 864.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).