Guardas da Carregueira confiscam 200 litros de álcool

Operação decorreu durante a greve de 20 dias que ainda está a decorrer naquele estabelecimento prisional.

Os guardas prisionais da cadeia da Carregueira, em Sintra, apreenderam nos últimos dias 200 litros de álcool nas celas dos reclusos. A operação de busca e apreensão decorreu nos últimos dias durante a greve decretada pelo Sindicato Independente do Corpo da Guarda Prisional.

De acordo com fonte contactada pelo DN, o álcool que circula no interior da cadeia - onde estão presos Carlos Cruz, João Vale e Azevedo, Isaltino Morais, Manuel Abrantes, Ferreira Diniz e Jorge Ritto - é feito através da fermentação de cascas de laranja e arroz. "Apesar de a quase totalidade dos guardas prisionais da Carregueria ter aderido à greve, não deixamos de fazer o nosso trabalho", disse ao DN um guarda prisional.

O Sindicato Independente do Corpo da Guarda Prisional decretou, recorde-se, até 11 de Agosto um período de greve como forma de protesto contra o novo estatuto da guarda prisional. Segundo esta estrutura sindica, o novo diploma apenas vem privilegiar a ascensão na carreira dos chefes de serviço, que passam a comissário, em detrimento dos guardas.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.