Grão-mestre: maçons não podem despedir para lucrar

O grão-mestre da Grande Loja Legal de Portugal (GLLP), José Moreno, deixou na quarta-feira um aviso aos "irmãos" patrões: "Um maçom não deve, nem pode, promover o desemprego para proteger margens de lucro."

Num discurso realizado num almoço do American Club, em Lisboa, o grão-mestre da maçonaria regular mostrou-se convicto de que "os maçons saberão proteger os postos de trabalho sob a sua responsabilidade. Têm de o saber fazer".

Além do desemprego, José Moreno, refletiu sobre as divisões da maçonaria em Portugal, deixando claro que não concorda com a separação entre a GLLP e o Grande Oriente Lusitano. "Nos últimos cem anos a maçonaria em Portugal deixou-se condicionar por circunstancialismos ideológicos, políticos, profanos. Que dividiram quando deviam unir", lamentou. José Moreno considera que "a maçonaria é universal" e acrescentou "sem receio nas palavras (...) que a maçonaria também deve ser una".

Sempre crítico quanto às divisões entre "irmãos" lembrou: "Portugal é o País com mais grão-mestres per capita".

Ler mais

Exclusivos