Governo tem "plano de emergência" para salvar ilha do Tejo de submersão

Ilha Mouchão da Póvoa, no estuário do Tejo está em risco de submersão

O Ministério do Ambiente fez hoje saber que está a elaborar "um plano de emergência" para intervir no Mouchão da Póvoa, uma ilha particular localizada no estuário do Tejo que corre o risco de ficar submersa.

Numa nota enviada à agência Lusa, fonte do Ministério do Ambiente admitiu que o Mouchão da Póvoa se encontra "em avançado estado de degradação" e referiu que já foi pedida à Associação Portuguesa do Ambiente (APA) que elabore um "plano de intervenção, cofinanciado pelo Fundo Ambiental".

A mesma nota sublinha que a área afetada "ainda se situa no domínio público" mas, tendo "utilização privada, competiria à empresa proprietária proceder à realização das obras".

Nesse sentido, a tutela ressalva que terá de ser mais tarde "ressarcida pelos custos da intervenção de emergência".

O Ministério do Ambiente não perspetivou uma data nem qual será a verba necessária para intervir no Mouchão da Póvoa.

A Lusa tentou contactar, sem sucesso, o proprietário do Mouchão da Póvoa.

O Mouchão da Póvoa, com 1200 hectares, é um dos três mouchões existentes no concelho de Vila Franca de Xira (distrito de Lisboa) e caracteriza-se pela atividade agrícola ali desenvolvida pelos proprietários.

Há um ano, a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira alertou a APA para a existência de um "rombo grave" num dos diques de proteção do Mouchão, solicitando que o proprietário da ilha pudesse ali realizar "uma intervenção urgente".

Contudo, há uma semana, o presidente daquela autarquia, Alberto Mesquita (PS), referiu à Lusa que a "ausência de uma resposta célere" por parte da APA fez com que o Ministério do Ambiente tivesse assumido, no início deste mês, um compromisso com a autarquia de que iriam ser feitas obras "rapidamente".

A situação do Mouchão da Póvoa já motivou várias manifestações de preocupação tanto a nível local como nacional.

Na segunda-feira, a presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, visitou os mouchões de Vila Franca de Xira e alertou o Governo para a necessidade de uma "intervenção urgente", sublinhado que o estado atual do Mouchão da Póvoa "coloca em causa a biodiversidade do estuário do Tejo e a atividade agrícola ali existente".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...